Pressione "Enter" pra pular este conteúdo

Ex-policial de Minneapolis se declara culpado de homicídio culposo na morte de George Floyd

Um ex-policial de Minneapolis se declarou culpado na quarta-feira de homicídio culposo na morte de George Floyd, um homem negro cujo assassinato pela polícia provocou protestos em todo o mundo contra o racismo sistêmico.

O ex-oficial, Thomas Lane, entrou com uma confissão de culpa a uma acusação estadual de ajudar e favorecer o homicídio culposo, anunciou o procurador-geral de Minnesota, Keith Ellison, na quarta-feira.

Como parte do acordo judicial, uma acusação de cumplicidade e cumplicidade em assassinato em segundo grau foi descartada, disse um porta-voz do escritório de Ellison.

O estado e a defesa recomendaram conjuntamente ao tribunal que Lane fosse sentenciado a três anos, disse o porta-voz. Sua sentença está marcada para 21 de setembro.

“Hoje meus pensamentos estão mais uma vez com as vítimas, George Floyd e sua família. Nada trará Floyd de volta. Ele ainda deve estar conosco hoje”, disse Ellison em comunicado.

“Estou satisfeito por Thomas Lane ter aceitado a responsabilidade por seu papel na morte de Floyd. Seu reconhecimento de que ele fez algo errado é um passo importante para curar as feridas da família Floyd, nossa comunidade e a nação”, continuou ele. “Embora a responsabilidade não seja justiça, este é um momento significativo neste caso e uma resolução necessária em nossa jornada contínua para a justiça.”

Ele não fez outros comentários, dizendo que o estado está se preparando para o julgamento de 13 de junho dos ex-policiais de Minneapolis J. Alexander Kueng e Tou Thao, acusados ​​de assassinato não intencional em segundo grau e homicídio culposo em segundo grau.

O advogado de Lane, Earl Gray, disse à NBC News que seu cliente tomou a decisão que lhe permite fazer parte da vida de seu filho.

“A promotoria do Estado tem uma sentença obrigatória de 12 anos se for condenado pelo assassinato não intencional. Meu cliente não queria correr o risco de perder o caso de assassinato, então ele decidiu se declarar culpado de homicídio culposo com uma sentença de três anos, a ser libertado em dois anos, e o caso de assassinato arquivado”, disse Gray. “A sentença será concomitante com sua sentença federal e ele cumprirá sua pena em uma instituição federal. Ele tem um bebê recém-nascido e não queria correr o risco de não fazer parte da vida da criança.”

Compartilhe esse conteúdo....
Mission News Theme by Compete Themes.